Brasil canalha, Um

Os seres humanos sempre foram divididos em duas espécies maiores: os santos e os pecadores. Esse maniqueísmo norteou o nosso conceito de pessoas virtuosas ou vis por um tempo infinitamente longo. Isto ficou tão arraigado em todos nós, que já nos é quase impossível conceber o fato de que canalhices são praticadas também por pessoas que nós consideramos ser incapazes de qualquer ato despido de preceitos morais ou éticos.

No entanto, o que se vê é que os calhordas e as suas canalhices infestam o mundo todo e que não existe uma só Nação que não tenha pecadores entre seus expoentes maiores – ou menores. O Brasil não é uma exceção. E este livro - baseado em fatos inequivocamente reais e exaustivamente pesquisados, analisados, interpretados e devidamente classificados - apresenta uma estatística que não nos permite duvidar: há Um Brasil Canalha, sim. 

Um livro inusitado, este, em que o Autor, sem meias palavras, e fazendo-nos um favor e tanto, recolhe pacientemente o lixo nacional que garimpou pelos principais jornais e revistas do País. Sua coleção de canalhices tem cerca de 22 anos de existência, porém é estarrecedor o fato de que ele tenha tido, nesse curtíssimo período de tempo, a oportunidade de colecionar cerca de 45.000 notícias da Imprensa Brasileira sobre canalhices de todos os tipos. E, pelo que se lê dessas mesmas notícias, há canalhices de pessoas também de todos os tipos – inclusive as praticadas por aqueles homens, mulheres e instituições que são quase sempre pelo povo considerados serem homens, mulheres e instituições acima de qualquer suspeita. 

O engenheiro industrial Durval dos Santos Clemente. Hoje, aos 76 anos, concluiu este livro após ter se aposentado de suas inúmeras atividades, em 1995, permitindo-se então, a partir dessa data, a um estudo profundo sobre o lado canalha da sociedade brasileira, baseando-se em denúncias retiradas de nossa Imprensa, desde a década de 70, e em suas observações dos fatos de nossa História. Diz o Autor: 

"Inconformado com a falta de participação das pessoas com quem vivia, passei a recortar as notícias que mais me impressionavam para discuti-las posteriormente com os amigos. Com o tempo, fui verificando que estava colecionando notícias de fatos que tinham todos um aspecto comum: a prática de atos canalhas". 

A classe social que mais lhe forneceu assunto foi a dos Políticos, seguida de perto pelos Empresários. Nesse ranking esdrúxulo o terceiro lugar ficou com os Funcionários Públicos. 

A Editora Alfa-Omega mantém a sua linha editorial - jamais alterada desde o início de suas atividades no mercado livreiro de nosso País - e novamente publica um livro corajoso. E um livro que não será capaz de deixar ninguém ou coisa alguma indiferente.A gravidade de seu conteúdo e a seriedade de quem o escreve irão gerar polêmicas infindáveis. Isto é inevitável, visto tratar-se de estatísticas e considerações jamais vistas em nosso País: as canalhices cometidas por pessoas que jamais poderiam, em nome da Ética, tê-las cometido.

O livro tem linguição?: 
Sim
R$58,00 R$52,20 

Brasil canalha, Um

2a. Edição
2001
180 pp.
Preço Promocional com desconto de 10%: 
R$ 52,20
ISBN: 
85-295-0020-2
9788529500201